Minha flor

Lilypie Fourth Birthday tickers

Meu amor

Lilypie Kids Birthday tickers

Casar é bom

>> domingo, 28 de agosto de 2011


Há tempos eu queria falar sobre isso, sobre relacionamento, comprometimento, compromisso, e tudo mais que envolve o casamento em si. Engraçado que no meu círculo de amigos, todos ou quase todos são "juntados com fé", ou seja, sem nenhum papel, cerimônia ou afins que selem esse tal de compromisso. E eu e Mamá, nos casamos apenas no religioso, numa cerimônia linda, na igreja, eu de branco, grávida de seis meses do Luca, apaixonada, sabendo que estava, ali, me juntando de mais  uma forma ao homem que eu amo profundamente, e que escolhi para trilhar comigo as estradas da vida e criar nosso frutos, nossos filhos. Nosso casamento foi comunitário (típico casamento de aquariana), sem muita frescura, totalmente sem cerimonial, sem protocolos, mas com tudo aquilo que mais vale, muito amor e uma grande vontade de construir um vínculo permanente e especial. Foi uma linda cerimônia,  com vários outros casais se casando ao mesmo tempo, com a presença de amigos e familiares queridos. O importante é cada um fazer como quer e como gosta, ou simplesmente, não fazer...apenas viver esse amor, esse compromisso. Hoje vejo casamentos sendo feitos e desfeitos, com a rapidez de um mundo loucamente cibernético, onde as relações e os sentimentos são expostos em redes sociais, e cada briga, cada rusga, conta com a participação de um sem fim de seguidores e palpitadores. As pessoas se casam e se separam, e se casam de novo, e se separam de novo. Não acho que devemos ficar numa relação que não está mais legal, ou continuar com uma pessoa que não mais admiramos e amamos. Mas será que não estamos desistindo muito rapidamente? Descurti. Me apaixonei por outra pessoa. Me pergunto o que faz um relaciomamento dar certo. Ser duradouro e se constituir numa família. Não sei, cada casal tem seu código de conduta, suas particularidades, seu mecanismo. Mas uma coisa aprendi com a vida,  casamento para dar certo, tem que contar com uma enorme vontade de ambos os lados, um esforço diário e uma boa dose de concessões, de "abrir mão de algumas coisitas". Lembro que li em algum lugar que não existe um companheiro sem defeitos, mas os defeitos do meu companheiro têm que ser suportáveis para mim e vice-versa. Não existe ninguém que caiba dentro do nosso sonho, já dizia o saudoso Cazuza. Temos que ter prazer na companhia do outro, admiração, paixão, tesão, tudo junto mesmo, numa grande mistura de sensações. Saber perdoar também ajuda muito quando nos relacionamos com outras pessoas, perceber que todos somos passíveis de erros e vaciladas na vida. E se tudo isso for feito com um enorme respeito pelo companheiro, tem uma grande chance de durar e durar bem, de uma forma gostosa. Sabe quando a gente vê um casal em que um ajuda o outro, vibra com as conquistas do outro, torce para tudo dar certo? Pôxa, como eu acho isso lindo. E modéstia à parte, vivo isso na minha vida, com um parceiro que me apóia, me ajuda, cuida de mim e me admira. E eu também faço isso por ele. E vejo nesse meu homem, um pai presente, participativo, que divide comigo as dificuldades da vida. Olho para ele e vejo o meu filho no futuro, se formando no exemplo diário que ele lhe dá de como ser um homem de verdade, honesto, trabalhador, íntegro, inteiro na vida. E vejo minha filha o admirando, e na experiência de sua curta vida, aprendendo como um homem deve se comportar e tratar uma mulher. Porque são esses pequenos detalhes do dia-a-dia, que me fazem o amar mais e mais, e tentar sempre regar nosso amor, batalhando pela nossa família, tentando dar o melhor de mim, e perpetuar nossa história tão linda. Sei que sou romântica, e muito; sonhadora, otimista, acredito plenamente no amor, na amizade, acredito que a vida é linda e que as pessoas são especiais. Mas também  vivo isso, experencio todos os dias. E sobretudo, acredito no casamento e na família, nessa estrutura de vida tão demodê nos dias de hoje. Não é fácil, eu sei, todos temos nossa carga para carregar, problemas para serem resolvidos, obrigações a serem cumpridas. Mas tudo é muito mais saboroso quando podemos contar com outra pessoa para nos ajudar nessa caminhada. E quem sabe, envelhecer juntinhos, de mãos dadas, juntando as cabecinhas brancas e contando historinhas para os netinhos. Esse é o meu sonho, minha meta. Por isso e por tudo mais, que para mim, casar é assim... bom, muito bom.

Beijos apaixonados a todos!

Marisa




3 comentários:

Rosa Maria 28 de agosto de 2011 19:59  

Minha querida, fiquei emocionada! Tão bom saber que mesmo sem nos encontrar há tantos anos, nossas vidas seguem um caminho iluminado, cheio de amor e seres queridos pra nos inspirar diariamente. Também casei sem protocolo, do outro lado do mundo, sem frescura (casei com aquariano, né)e com a Clarice dando sinal da sua presença no mundo. Tudo simples, rico em cores e amores. E vamos juntas, sempre, construindo nossas vidinhas, com carinho de quem planta flor delicada. Beijos muitos em todos vocês!

Cristiane 29 de agosto de 2011 06:28  

Oi sumida!!!! Amei seu post. sou casada a 5 anos e meio e sou muito feliz. acho que pra dar certo é proceso que o casal olhe na mesma direção sem segredos, machismo, feminismo. é o siginificado de amor: DOAÇÃO!!!! bJO como está sua filha?? Esta bem o tratamento? bjo da Cris

Mônica Vaz 29 de agosto de 2011 08:02  

Olá Marisinha....
Também me emocionei muito, porque como você sabe, é exatamente isso que penso sobre casamento, família, uma vida à dois.
Meu casamento foi tudo conforme manda o figurino, sou capricorniana, não sei muito sobre signo, mas sei que gosto de tudo direitinho conforme as regras. Sonhei... planejei...tive filhos maravilhosos.. E procuro fazer de tudo para manter minha família sempre unida fortificando sempre meu amor pelo meu marido e reconquistando-o dia a dia para manter a chama da paixão sempre acesa. Tenho 25 anos de casada e sou muito feliz!
Beijos no core!

Related Posts with Thumbnails